• Não seja seu maior obstáculo.

    Dificilmente você conheça alguém que não tenha um hábito que gostaria de mudar. Quer seja hábitos alimentares, procrastinação no trabalho ou falta de paciência no trânsito, sempre nos pegamos sendo boicotados por hábitos incorretos que cultivamos. Mas de onde vem tamanha energia que nos mantém estagnados e nos afasta de nossos objetivos?

    São muitas as razões para isso, mas a principal dela reside dentro de nós: nosso mindset (Atitude mental, em tradução simples) que nada mais é que nossa forma de enxergar o mundo. Assim, podemos entender que o problema é nossa maneira de pensar. Certamente você já se pegou em uma situação onde precisa se dedicar a determinada tarefa considerada por você complexa, mas adia e procura por algo mais fácil, busca distrações, ou repete insistentemente que não é capaz de executar essa tarefa, por considerá-la difícil ou desconfortável.

    E porque insistir nesses hábitos, mesmo sabendo que são extremamente prejudiciais?

    Estamos sujeitos a padrões antigos, que construímos ao longo dos anos, e que funcionam como mecanismos de defesa para lidar com as adversidades. Quer seja por simplesmente não querermos deixar nossa zona de conforto, criar grandes expectativas e temermos não atingi-las ou simplesmente por não acreditarmos em nosso potencial, acabamos nos colocando em situação de desconfiança em nosso próprio potencial. E é aí que está nosso maior obstáculo.

    Então como deixamos de ser o nosso próprio obstáculo? Reflexão sobre essa postura é o melhor caminho. Quando perceber que tal situação – de procrastinação – está ocorrendo, pare um momento e permita-se racionalizar o que está ocorrendo. Reflita sobre como você está dificultando as coisas.

    Quando você pratica esse hábito de atenção, de mindfulness, de reconhecer a incerteza e acomodá-la, podemos evitar o desconforto da dúvida. E quando fazemos isso, podemos simplesmente voltar à tarefa e agir.

    Apenas a força de vontade será capaz de te tirar dessa situação. Enfrente suas incertezas com disposição. Não há necessidade de tornar tudo ainda mais difícil.

    Em resumo: respire fundo e bola pra frente!

    Comentários

    comentários