• Quem não se comunica, se complica

    Quantas vezes você já enfrentou problemas com sua equipe apenas por falhar na comunicação? Quer seja na forma de abordar um problema, no tom utilizado para colocar uma posição, ou mesmo na visão mais ampla da situação, tudo pode influenciar no relacionamento entre colaboradores da empresa, e também dificultar a resolução de problemas.

    A boa notícia é que há uma forma de desenvolver essa habilidade: através da Comunicação Não-Violenta (CNV). Ela se trata de uma estrutura de comunicação baseada na clareza e empatia, estimulando uma conexão genuína entre as pessoas. Ela abre espaço para o diálogo e negociação, suprimindo as imposições, corriqueiramente vistas em ambientes de trabalho. Desenvolvida pelo psicólogo americano Marshall Rosenberg, a CNV ganhou a atenção das lideranças por ser eficiente em um dos momentos mais importantes da gestão de equipe: o feedback. Essa abordagem cria as condições ideais para uma escuta respeitosa, trazendo à tona emoções e necessidades.

    Há o entendimento, hoje, que os resultados de uma equipe passam pelo reconhecimento de seu esforço diante dos desafios apresentados. Feedbacks recheados de críticas e sem muita objetividade são prejudiciais ao desempenho de colaboradores, o que usualmente faz com que os envolvidos sintam-se ofendidos. Por isso a CNV tem sido tão valorizada: por proporcionar um ambiente onde as equipes de respeitam e se regulam, oferecendo feedbacks contínuos até que seja encontrado o ponto correto de sintonia e produtividade.

    Neste cenário, o papel do gestor é fundamental: depende dele o estabelecimento de desafios tangíveis e metas alcançáveis, reconhecendo as vitórias e evoluções em cada etapa do processo, alcançando assim resultados bastante positivos e de forma colaborativa.

    Fonte: vocesa.com.br

    Comentários

    comentários